quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Desactivado

Os dias passam a correr e muitas vezes sem sentirmos nada diferente. A minha querida M. num post que me dedicou aqui, falava em "piloto automático". É essa sensação. As mesmas pessoas, as mesmas rotinas, as mesmas piadas, as mesmas conversas, as mesmas emoções. E os dias passam a correr porque estando sempre a "ver a mesma coisa", não assinalamos marcos. Não distinguimos os dias. Felizmente, quando nos apercebemos disso, fazemos um esforço para tornar cada dia memorável por qualquer coisa. Mesmo insignificante, essa coisa, esse momento, assinalou aquele dia como diferente. Obviamente que nem sempre isso é possível. É utópico. A realidade é diferente e suporta-se desse quotidiano que reproduz comportamentos e sentimentos. Mas a consciência de que o tempo passa- e nós também- tem o condão de despertar em nós a obrigação de revestir a nossa vida de pequenos momentos que, por serem diferentes, ficam na nossa memória.
O dia de ontem foi assim.
Sabia que ía ser diferente. E a razão dessa diferença poderia constituir-se como um marco negativo que ficaria na minha memória. Mas, pequenos grandes gestos, acabaram por equilibrar as minhas emoções. Alguns abraços, algumas palavras, alguns olhares, alguns beijos, tocaram-me de forma muito especial.
M. sabes que muitas vezes me esqueço... muitas vezes tenho dúvidas... mas não questiono o amor que algumas pessoas têm por mim. Obrigada por teres colocado por escrito de forma tão bonita. Obrigada pela tua amizade. Tenho muita sorte em ter pessoas que gostam de mim como eu gosto delas. Mais do que o mimo, a reciprocidade...
Ontem, o dia foi memorável, não pela data assinalada.
Foi inesquecível porque, senti.
Obrigada a todos!

2 comentários: