terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Porra de frio

Ainda não eram 8 da manhã e já estavamos os três a tremer dentro do carro. As escovas accionaram-se automaticamente no momento em que liguei o veículo. Não era chuva mas sim gelo. Duro, sólido, compacto.  Em jeito de MacGyver, lancei-me numa tarefa de retirar placas de gelo com recurso a lenços de papel e água (foi o melhor que consegui). Lá de dentro os miúdos davam gritos eufóricos e abafados: "neve, neve, neve". "Mamã está 1 grau!" Toda uma emoção que eu tive de matar explicando que não só não era neve, como não ía nevar... Mas, na verdade, até a mim me deu um impulso de alegria. Desejei umas gotinhas do céu, transformadas em flocos por um vento gélido. Não cairam.
Depois de os levar ao destino voltei a casa e muni-me de mais um casaco. O maior e mais quente... um polar do meu marido que escondi como pude debaixo do meu próprio modelito. Não sei se é da idade, ou quiçá do desconsolo que me assola, facto é que tenho sentido muito frio. Pondero mesmo levar uma mantinha para o meu estaminé laboral ou eventualmente rapinar uma escalfeta a alguém. Pelo menos na fisioterapia asseguram, por uma hora, o meu conforto.O segredo? Placas de parafina quente no meu colinho. Não faz parte do tratamento mas...

ajuda tanto!

4 comentários:

  1. É então aproveitar enquanto dura a fisioterapia. As melhoras.

    Ainda ontem e anteontem usei um saco de água quente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Helena, hoje fui à consulta de fisioterapia...mais um mês de tratamento... muita bolsinha de parafina quente... ;)

      Eliminar
  2. um cartão de cliente de uma loja qualquer limpa o gelo lindamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa ideia!! Penso utilizar o da Segurança Social...

      Eliminar