sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Passa a outro e não ao mesmo

Pois que, num dia só, fiz um périplo pela Repartição de Finanças e pelo Instituto de Segurança Social.
Do melhor!
No primeiro, a senha que retirei no r/c mal me deu tempo de chegar ao 3º andar. Objectivamente, subi as escadas a correr. Do outro lado do balcão alto estava senhorita com menos metro e meio que, basicamente, não me deu informações nenhumas. Alí era mesmo só para pagar. Execuções ficais: bahhhh! Porque é que tenho uma coima por passar a portagem sem pagar, datada de 2008? Não sabemos! "Terá de se dirigir a outros dois organismos..."
Já no espectacular serviço de segurança social, o meu marido, que aguardou pacientemente mais de duas horas empunhando o meu cartão do dito instituto, teve quase de tirar sangue para comprovar que cohabitava comigo. Saí a acelarar de Algés para me apresentar fresquinha em Paço de Arcos à senhora que levantou as sobrancelhas perante a minha pessoa. Se olhou para o meu cartão do cidadão? Não. E informações espectaculares? Não deu.
"Vou enviar o seu processo para os serviços centrais".
Eu (ingénua): "E como é que eu sei qual o andamento dado ao assunto?"
"Ahhhhhhhh". Levantou novamente a sobrancelha. "Isso agora...é ir vendo"
O que eu gosto de ser elucidada.

5 comentários:

  1. Eu passo. Tribunais, Finanças, Institutos e afins, distância, muita distância deles.

    Bom fim de semana

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. sugadita amiga, está sugadita!!

    ResponderEliminar