segunda-feira, 12 de maio de 2014

[...]

Já passaram alguns dias e sinto-me assim... Ainda a sorrir, num estado de genuína alegria mas, acima de tudo, com um sentimento de elevada gratidão. Por ter a felicidade de me encontrar rodeada de bons amigos. Por uma família de sempre e outra que fui escolhendo e alimentando. Pensei em ir identificando todos os que, nestes dias, têm expressado o seu carinho. Comecei a escrever e não consegui. São muitos. E diferentes em tantos sentidos. As pessoas do meu trabalho que demonstraram aquilo que eu já sabia: não é só um trabalho. Os meus amigos que apareceram, ameaçaram com cartazes, enviaram mensagens, emails ou telefonaram. As palavras! A escolha das palavras! "Diverte-te!" "Estás rodeada de pessoas que te querem bem!" "Goza o teu momento!" "Parabéns!" Os elogios que me fizeram corar.... A minha mãe com o livro na mão. A ideia do meu pai a ver-me. [...] O orgulho nos olhos dos meus filhos. O amor do meu marido. Teria de escrever muitas palavras para agradecer a cada uma daquelas pessoas- que foram e que não foram- mas que pensaram em mim. Não o vou fazer. Vou agradecer como julgo que sei. Como julgo que faz sentido. Vou agradecer, agradecendo. 
@Pau Storch, captaste a minha alegria! Obrigada!

6 comentários:

  1. Parabéns! Li o livro numa noite entre risos,choros, os dois ao mesmo tempo.Tornei-me fã de mais um elemento da familia Almeida.Se o Rui me alegra os dias com o seu bom humor ( umas vezes mais seco que outras mas sempre adorável) sei que á noite ainda me esperam uns sorrisos quando visitar o seu blogue.Obrigada pela dedicatória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Natália! Agora emocionei-me! Não por ter gostado do livro mas por trabalhar com o meu irmão! Estou disponível para um forte abraço, sempre que precisar!!!
      Beijinhos e obrigada!

      Eliminar