quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Ó pobreza!

Ando, há tempos, a pensar nisto da profissionalização dos blogs. Olho para os lados e vejo tudo o que é bloggers a enveredar por especializações várias, formatando os seus espaços virtuais, até ao ponto de se tornarem prestadoras de serviços. E aqui não estou a tecer nenhum juízo de valor. Longe disso! Sou pessoa dotada de uma inveja saudável e, por segundos, equacionei tornar também este espaço numa espécie de montra, qual fonte de desejado rendimento extra. O problema mesmo é que as montras servem, precisamente, para mostrar algo e aqui inicia-se o problema. Mostrar o quê? Bom, para resolver o dilema comecei por perguntar a quem me conhece bem, o que julgava ser adequado ao meu perfil. Descansem, não vou desmascarar aqui quem ainda não me remeteu uma resposta formal... mas, não posso deixar de agradecer a quem "perdeu" um bocadinho de tempo a pensar no assunto.
Começo pela H.. Julgo que a frase mais comprida que saiu da sua boca foi algo do género "podes ensinar a organizar mochilas". Sim, foi isto. Anos e anos de convivência e amizade pura. Aconselhamentos diversos que tenho dado a esta rapariga, orientação esta que tem evitado a sua grande desgraça e... qual a graça que me atribuiu? Fazer mochilas. É isto, meus caros. Foi isto que viu em mim. 
Adiante. A minha querida C. foi mas além. Atribuiu-me competência importante. Julga ela que estou perfeitamente habilitada para tecer considerações acerca dos segredos para manter uma relação duradoura e salutar. Estou a respirar lentamente, quase a entrar num estado zen. Apreciei a avaliação da minha pessoa mas... não estou certa do seu julgamento. É verdade que tenho um relacionamento longo e feliz mas... também é garantida a questão da comunicação não verbal que nunca lhe contei. É que o segredo é fácil e pode ser descrito numa frase. Basicamente, basta ser um casamento escasso em palavras. Sem diálogo não há discussão. Senão vejamos. Há dois dias parti um prato porque estava a fazer tudo à pressa. Ouvi-o a respirar pausada e fortemente. Não houve discussão, logo: alegria e ausência de conflito. Ele, hoje, deixou a sua toalha molhada em cima da cama. Eu, em silêncio, coloquei a toalha em cima do seu pijama. Quando chegar a casa do seu treino de futebol, tomar um banhinho quente e vestir seu pijamita, vai-se lembrar de mim. Mas, atentem, não vai haver discussão. Eu vou estar a dormir e ele não vai querer reconhecer o erro recorrente. Logo: silêncio e ausência de conflito. E pronto, o assunto está oficialmente esgotado! Conclusão: também não é isto que me vai render algum dinheiro extra.
Assim, resta-me o R.. Devoto esposo da minha comparsa Marta, dedicou algumas considerações acerca da minha pessoa que passo a transcrever seguidamente.
 
Ana Isabel (formerly known as Ana Almeida):
§  Tem um enorme sentido de humor e formula facilmente gracejos inteligentes e acutilantes, sobre qualquer matéria (então, se meter sexo, nem se fala!). E essa porcaria dá para quê, perguntam vocês?... Olha, pode dar, por exemplo, para  escrita criativa, ou para a criação de contos e peças ou textos por medida, com um cariz mais humorístico. Ou para a composição de notas de prova de vinhos de algumas adegas [um gajo lê aquela merda e pensa: ‘Estes gajos devem estar a tripar! Avelã, caramelo e zimbro, com estágio em barricas de acácia do Zimbabué. WTF???]
§  Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh…. Tem jeito para……
§  Ela tem piada e eu estaria facilmente a vê-la a fazer stand up comedy. (Não, não estou a brincar!)
 
Palhaça, portanto! Obrigada, R. mas esqueceste-te da minha aversão a públicos vivos.
E agora que já estou cansada deste assunto e da ausência de uma conclusão que me agrade, começo a concentrar-me no cheiro que entra-me pelas narinas. Acabei de fazer uma quiche de peixe que me inunda a casa com maresia e considero que talvez seja este o meu caminho. É isso! Vou começar a tirar fotos de comidas e a partilhar aqui as receitas. Ora o que é que eu sei cozinhar bem? Deixa ver. Quiche de peixe, lasanha de atum,  quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum, quiche de peixe, lasanha de atum...
Vamos lá a ver: quem é que quer aprender a organizar mochilas?
 
P.S.
R., eu gostei da primeira opção. Vá, concordo também com a segunda.

11 comentários:

  1. Ehehhehehhehehehehehehheheheh
    Se deres um curso de escrita criativa, eu estarei na primeira fila, ouviste??
    Bjss que amanhã é sexta e a minha constipação está a dar de frosques. Finalmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não dou mas gostava muito de fazer... Beijinhos

      Eliminar
  2. Se fores ao meu Workshop para aprenderes a andar de bicicleta eu alinho nisso de aprender a organizar mochilas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh pá! Sabes a quem dava jeito o teu workshop? Marta do DolceFareNiente...Bjs

      Eliminar
  3. Eu preferia aprender a organizar a carteira! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum... eu não preciso organizar a minha. Está vazia... ;)

      Eliminar
  4. Ok, eu alinho na coisa da organização das mochilas... que também sei fazer, mas é para ver se faço igual a ti!! E também fico para ver a foto e receita da quiche de peixe e da lasanha de atum, e da quiche de peixe e da lasanha de atum, e já agora da quiche de peixe e da lasanha de atum... sabes uma coisa? Nunca fiz quiche de peixe, nem lasanha de atum...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o suflê de peixe que vou fazer agora? Sim, eu sou espectacular! ;) Bjs

      Eliminar
  5. Adorei essa dica do pijama!!!!
    mas cá em casa de certeza que não funcionava.
    ainda ficava era pior para mim que depois ele dizia: está molhado! vou buscar outro.
    e depois, mais roupa para o cesto... para eu lavar!!!!
    ;)
    beijinhos
    Luciana

    ResponderEliminar